segunda-feira, 30 de junho de 2008

Fragmentos


Muros castos e tristes
Cativos de si mesmos
Como criaturas que envelhecem
Sem conhecer a boca
De homens e mulheres.
Muros Escuros, tímidos:
Escorpiões de seda
No acanhado da pedra.
Há alturas soberbas
Danosas, se tocadas.
Como a tua própria boca, amor,
Quando me toca...

Hilda Hilst

3 comentários:

LEONARDO SARMENTO disse...

Minha boca é a escrava do teu prazer, é a serva de tuas sevícias... Sem papas na lingua, se é q vc me entende...

Enxaqueca disse...

... tia... se eu te disser que não tenho a menor idéia de como é que se paga esse boleto pela internet, vc acredita? ... rsrs... mas, pelo o que me disseram, não pode pagar boletas atrasadas... E eu sempre me esqueço!

=S


Besos...

Anônimo disse...

"Sucede com frequência que os espíritos mais mesquinhos são os mais arrogantes e soberbos, assim como os espíritos mais generosos são os mais modestos e humildes." (René Descartes)