terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Grude


As noites que não são contigo
eu não exatamente durmo
eu rolo,
Você não há
não há desenrolar de coxas, colchas
e entremeios.
Não há dobrar de joelhos
se não para rezar.
Então semeio
uma concórdia de lençóis
uma não solidão
de cafunés nos cangotes
uma não masturbação.
Adormeço
Você é o cheiro que ficou de nós
eu respiro pós
dos sonhos
eu latejo
eu planejo
eu oro.
As noites que não são contigo,
eu não exatamente durmo,
eu enrolo

*Elisa Lucinda*

P.S.: Essa é pra vc...

3 comentários:

Leonardo disse...

Valeu minha linda! Mas vc tá queimando meu filme... Comigo vc tb não dorme, mas sim rola, mas tb não enrola, a não ser com a rola... Ah, deixa para lá, fiquei meio confuso agora...

Bjs ;

A dona do blog disse...

"A Resposta"

Safado! Que bom que vc gostou, eu adorei a resposta...aproveitando a deixa, mais uma "homenagem" a vc..."Nada melhor do que não fazer nada, só pra deitar e rolar com vc."
Te amo!

pedrita disse...

eu adoro os poemas da elisa lucinda. adorei o layout do seu blog e o reloginho ficou bem legal. beijos, pedrita
http://mataharie007.blogspot.com