quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Apresentação


Aqui está a minha vida- esta areia tão clara
com desenhos de andar dedicados ao vento.
Aqui em minha voz- esta concha vazia,
sombra de som curtindo o seu próprio lamento.
Aqui está a minha dor- este coral quebrado,
sobrevivendo ao seu patético momento.
Aqui está a minha herança- este mar solitário,
que de um lado era amor e, do outro, esquecimento.



*Cecília Meireles*

2 comentários:

Leonardo disse...

Melencólico, mas bonito! Próprio de quem possui transtorno bipolar... nos momentos de polo negativo...

joseluis disse...

enfim um blog de bom gosto
que bom