quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Alma-te boca


Com gosto de ar na boca
Ela dorme, a louca
Como quem beija um gosto de mar
E la nave va
Lua no ovário de Aquário
Sobre a varanda da Gávea
Sob a esperança mãe sábia
Que ancora os poetas
E promove encontros de boca
Quando a palavra beija a alma
Tudo se cala, e beija
Onde a alma esteja.


* Elisa Lucinda*

Um comentário:

joseluis disse...

so' o titulo ja' vale o ingresso
ela e' otima
e sexy