segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Ressureição


Vivo e morro
— setenta e sete vezes sete —
revivo
sob a dura lâmina
de tua língua.

Se é meu sangue
o pão
que te aplaca a fome,
teu gozo
é o vinho
que me ressuscita.

*Mariza Lourenço*

Um comentário:

Leonardo disse...

Como havia lhe falado, não precisas morrer para tua ressureição, faço questão de prover-lhe a vida ainda que esta não vingue, mas minha parte jorrarei...